São Cipriano

Existem uma infinidade de livros ditos de São Cipriano( "O Verdadeiro Livro de São Cipriano", "O Antigo e Verdadeiro Livro de São Cipriano","O Livro Gigante de São Cipriano -capa preta-","O Livro de São Cipriano-o verdadeiro","O Livro de São Cipriano-único"," O Livro de São Cipriano-o autêntico","São Cipriano, o Grande e Legítimo Livro Vermelho e Negro de S.Cipriano", "Livro Encarnado de São Cipriano","Genuino Livro de São Cipriano". etc).

São livros que as pessoas resolvem escrever alterando os títulos, acrescentando,retirando ou adaptando dados de acôrdo com os interesses, criando assim incontáveis edições populares no Brasil e na América Latina.

Segundo Jerusa Pires Ferreira que defendeu tese de livre-docência na USP sobre o Livro de São Cipriano :" os textos editados do Livro de São Cipriano tem partes móveis e partes fixas, adaptando-se ao mundo da sociedade industrial, onde tem vasto público na periferia das grandes cidades. Hoje seria quase um almanaque de saberes: teria a ver com a inquisição, livros de magia e feitiçarias européias, o mito do Fausto tentado pelo demônio, a tradição sagrada da Igreja Católica medieval ,antigos cancioneiros populares, problemas das cidades grandes como a poluição por exemplo."

Ainda afirma ela que :"Em edições mexicanas do Livro de São Cipriano, notam-se diferenças em relação aos brasileiros: mantido o repertório mágico central, eles enfatizam temas de vingança, pacto, sangue. E apesar de relatar e advogar práticas de feitiçaria, aí as palavras de ordem seriam a conversão ao cristianismo e a vitória do bem. Ainda assim nos projetos editoriais do Livro de São Cipriano, no seu permanente remix de itens de repertório, com acréscimo de fatos contemporâneos e revalorização de outros antigos, arcaicos mesmo, oferecendo mil oportunidades para a captura do leitor ,é notório os aspectos de mistificação e de sensacionalismo que esses almanaques de magia ao mesmo tempo encerram."

Isto ilustra a quantidade de obras apócrifas existentes no mercado.

O verdadeiro mesmo nos veio da Europa onde em Portugal encontramos um "Livro de São Cipriano, tirado de um manuscrito feito pelo mesmo Santo, que ensina a desencantar todos os encantos feitos pelos mouros neste Reino de Portugal, e também indicando o lugar onde se encontrão. Mandado publicar por Pereira e Silva. Porto: Typographia de D.Antônio Moldes, Largo da Batalha Nº 41 - 1849.

Importante notar que todos os outros livros existentes fazem questão de explicar que São Cipriano, o feiticeiro de Antioquia não é o mesmo celebre bispo de Cartago o que não condiz com a verdade mas utilizado como atrativo para desatentos leitores(um livro de feiticeiro vende mais que um de santo não é verdade?).

Na sua grande maioria encontramos esconjurações e exorcismos, certa lista de 174 tesouros da Galiza,a Oração do Anjo Custódio, 50 mistérios da feitiçaria e inclusive remédios ,tesouro de mágicas(ex.: maneira de obter um diabinho tomando pacto com o demônio; mágica preta para desmanchar um casamento; a caveira iluminada com velas de sebo ou costurar com linha e agulha uma cruz na perna de um cadáver para fazer mal a qualquer pessoa), quase todos tem tratado de cartomancia, explicam os poderes ocultos do odio e do amor, os poderes ocultos do magnetismo,círculos mágicos de poderes ilimitados além de algumas orações da religiosidade popular muitas delas criadas em solo brasileiro(Magnificat, Cruz de São Bento, Sonho de Nossa Senhora, Amabilíssimo Sr.Jesus Cristo, Oração para assistir aos enfermos na hora da morte) e a oração da Cabra Preta (que não sabemos se é motivo de riso ou de dó por parte de quem entende um mínimo de magia tamanha a apelação ao inventarem esta "oração"para dar conotação de "reza brava").

Quem tiver curiosidade, tempo a perder e dinheiro para se jogar fora são indicados porém como fonte cultural são nulos , a não ser que se consiga o original português que aí pode-se retirar uma visão católica do período final da Inquisição.

Quanto a questão de "reza brava" apenas ilustro que até aí existe uma enorme confusão no uso deste termo."Reza brava" é diferente de "reza forte" que também são diferentes de " reza obrigativa", mas isto já é outro assunto para outra hora.

Anjo Ariano
Luz e Paz.

Leave a Reply